Desconstruindo

Cada dia mais me surpreendo com o desconstrucionismo cultural causado pelos movimentos ideológicos pós-modernistas na mentalidade da sociedade. O estrago nas consciências devido ao humanismo, relativismo, materialismo e racionalismo, entre outras aberrações filosóficas, têm hoje, mais do que nunca, resultados catastróficos e entristecedores. E o que mais me assusta é constatar que tais influências, de clara natureza anti-teístas, tem inclusive desvirtuado o discernimento da cristandade.

Os movimentos contemporâneos, apoiados naquelas filosofias que desafiam a fé e a naturalidade das coisas como elas são, tem mesmo conduzido a cristandade à inocentemente acreditar e a oferecer suas consciências e ações à imposição cultural dos conceitos relativistas que desafiam a moral, os bons costumes e os valores tradicionais, herdados principalmente do direito greco-romano e da filosofia Greco-judaico-cristã, que são historicamente as bases da construção e consolidação da civilização ocidental. Ver hoje uma alma que se intitule “cristã” e alegue tremular as bandeiras da doutrina bíblica, apostólica e eclesiástica, porém, ao mesmo tempo, em outras situações e contextos, aceitar e apoiar bandeiras como os movimentos ativistas homossexuais, abortistas, a favor da liberação e legalização das drogas, enfim, é de fazer minha alma suspirar e desejar chorar desesperadamente diante do SENHOR por tamanha apostasia, inocência, desconhecimento e informações indevidas. A “igreja” hoje cai inocentemente nas armadilhas desconstrucionistas da ordem, da natureza e dos valores religiosos, idealizados e praticados por mentes maquiavélicas aliançadas com o que existe de mais opressor, ditador, para não dizer diabólico, no mundo.

Nossa sociedade hoje é fruto mais do que comprovado, e compreensível por qualquer pessoa com um mínimo de honestidade intelectual, que fomos vitimados pelos sutis e sofisticados métodos de engenharia social que, amparado pelo gramscismo, conseguiram manipular a capacidade de raciocínio do brasileiro e o conduziu para uma apática parcialidade com toda sua safra de inversão de valores, revisionismo histórico falso, corruptibilidade humana, pecados, segregação da sã doutrina cristã, principalmente por intermédio das teologias da libertação entre os irmãos da ICAR e a teologia da prosperidade entre os protestantes evangélicos. E se tal destruição das bases morais e religiosas saudáveis foi capaz de atingir a Igreja, o que diremos daqueles que nunca se propuseram a uma busca e um encontro transcendental?

É nauseante e perturbador quando me deparo com uma vítima útil das políticas esquerdistas de nosso atual governo… Bem, na verdade, somos vitimados pela esquerda desde a caricata “redemocratização” política ao fim de 1985 e 1988 com a promulgação da nossa última Constituição Federal, esquerda essa que tolamente o Brasil confiou para trazer de volta a tão aclamada Democracia. A população, mesmo aqueles que se arrogam de possuírem formação superior ou de terem suas mentes vacinadas pela sua fé contra as forças opostas deste mundo, ainda assim, grande parte, a maioria para ser mais exato, deveriam jogar no lixo seus diplomas ou se converterem verdadeiramente, pois suas ilusões com toda “milagrosa” solução Estatal para todos os problemas da sociedade é de uma inocência abjeta.

Esses são aqueles que, seduzidos e ludibriados com toda a mentira socialista, se resumiram em presas fáceis e úteis a este crescente e dominante estado de coisas onde o caos e a negligência reinam absolutos em diversos espaços sociais, econômicos, políticos e culturais. Enquanto essa maioria assina embaixo cegamente sem nunca promover em si mesmos uma análise de consciência e de rever seus conceitos e ideologias, muitas fruto de um sutil e inteligente doutrinamento que não se pode definir exatamente quando e como começou na vida de cada um, há não ser por busca própria e com a devida dedicação e honestidade de caráter. Nada mais nobre do que reconhecer seus erros, seus enganos, seus excessos e poder dizer “eu me arrependo!”. Nenhuma outra ferramenta é tão eficaz para o aprimoramento do homem do que a atitude de buscar florescer em si mesmo um caráter benigno, uma mente e um coração honesto, coragem e ousadia o suficiente para se autoanalisar e rever seus pensamentos e posições assumidas.

Nosso povo precisa se reeducar! Precisa reaprender, repensar, reposicionar-se, mas desta vez através de real e verdadeiro conhecimento de causa. É preciso que aqueles que estejam cientes de toda mentira e distorção dos fatos no qual estamos inseridos, possam alimentar em si o desejo e a criatividade de promover essa causa. É preciso renovar em nossa sociedade o interesse e a preocupação com a auto-cultura, porém previamente com atitude imparcial e não apenas ouvindo um dos lados da guerra. Nosso povo precisa deixar de acreditar cegamente em seus supostos e “magníficos líderes” e formadores de opinião descompromissados com a verdade e com a razão. É preciso rechaçar esta classe de professores doutrinadores de suas ideologias políticas falidas e denunciar aqueles que fomentam nossa juventude a aderir a militâncias de causas desvirtuadas com a verdade e os fatos.

Precisamos ter a consciência e a determinação de não nos permitirmos nos iludir com nossa imprensa manipulada e manipuladora, nossas mídias que diariamente promovem entretenimento inculto e desprovido de uma cultura saudável onde tão somente emburrece nossa população e a faz vítimas de modas ridículas, e o resultado é o atrofiamento da capacidade mental, ao ponto do objetivo maior de nossa classe política atual ser alcançada enfim: a total e completa dominação dos pensamentos, consciências e razão desse povo! Desta forma, se consegue perpetuar-se no poder e promover as mais hediondas políticas sem que a sociedade acorde de seu coma induzido.

Ninguém disse que seria fácil, nunca se prometeu um caminho rápido e fácil, não existem soluções milagrosas, não existem líderes humanos messiânicos, não existem políticas perfeitas, não existe modelos que resolverão todo o mal herdado pela nossa natureza humana falha e egoísta. As bases para o equilíbrio são poucas, porém eternos: DEUS, FAMÍLIA, TRABALHO, PROPRIEDADE E LIBERDADE.

Anúncios

Comente:

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s